30 Janeiro 2012

Facebook Incubus Portugal

Hey folks!

De momento estamos a dar prioridade à nossa page no Facebook do Incubus Portugal, invés do nosso já mítico blog que tanto alegrias nos deu e tem dado, assim como alguns prémios que já recebemos através dele.

A razão pela qual optámos por esta nova plataforma social, foi devido à rapidez, acessibilidade e ponto de encontro de milhões de pessoas, como é o caso do Facebook actualmente.

Visitem-nos em https://www.facebook.com/Incubus.Portugal e estejam atentos às novidades!!

Enjoy Incubus

15 Junho 2011

Videos do primeiro concerto da Tour (Londres)

Já fizemos as nossas pesquisas no youtube por videos do concerto de ontem em Londres e aqui fica a nossa selecção:













27 Abril 2011

Review de Out_cubus a 'If Not Now, When?'

Review e opinião pessoal de Out_cubus

Boquiaberto! Foi esta a minha primeira reacção quando ouvi pela primeira vez “If Not Now, When?”. Fui surpreendido por esta nova sonoridade da banda, que me deixou perplexamente satisfeito. É sem dúvida, após muitas audições um grande álbum de uma grande banda! Completamente diferente de tudo o que fizeram até hoje, conseguiu-me até fazer esquecer por momentos, que esta foi a banda que trouxe ‘s.c.i.e.n.c.e.’ ao mundo, e que tantos fãs gostariam que essa sonoridade voltasse. Amadureceram como homens, pessoas, músicos e fizeram um álbum futurista, simples, completo, sentimentalista q.b. (não que isso seja mau, necessariamente), ambicioso e bem trabalhado. É uma sinfonia com 11 belíssimas orquestrações, em que cada elemento excedeu os seus limites e oferecendo-nos uma obra de arte.

Mike continua o mestre, o doutor, o génio na guitarra em que, em todos os segundos nos consegue surpreender revitalizando musicalmente numa série de maneiras, como já disse Brandon numa entrevista, Kilmore deixou definitivamente a sua faceta de DJ passar para segundo plano, para transformar todo o modo como instrumentaliza e acompanha de fundo, os seus colegas em todas as músicas. Ben faz da sua secção rítmica um misto de ritmos e géneros que faz unir os vários elementos sonoros da banda, cumprindo com a sua parte. Jose está para mim, num nível espectacular com muita suavidade e intensidade a cada batida, sendo muito correcto e eficaz no que faz. Brandon fez o que quis da sua voz. Eleva-nos o espírito a cada agudo, coloca correctamente cada entrada e falando da parte lírica, esteve como sempre nos habituou, no seu melhor, apesar do ‘susto’ que nos deu com ‘Adolescents’.
Nota-se muito o empenho e mudanças resultantes do estudo da música por parte de Mike na universidade de Harvard. Aprofundou as músicas, ampliou cada som, melodicamente aperfeiçoou-se ainda mais, e com isto, influenciou o resto da banda a criar este rock-soft-melo-experimental e romântico. Tudo está orquestrado a preceito contemplando-nos com o que pode ser um marco na história da banda.

 
Nas primeiras audições, destaca-se ‘if not now, when?’ pela introdução ao álbum que nos coloca as expectativas no seu devido lugar, ‘friends and lovers’ pela sua letra e melodia, ‘thieves’ pelo seu soft-pop que fica no ouvido, ‘the original’ pela sua transição ao minuto 3:40 que nos faz aumentar o volume e tocar nas nuvens com os acordes do mike de tão épico que se torna, ‘in the company of wolves’ pelo seu início à Coldplay e fechando os olhos, consigo até ouvir influências de Pink Floyd tendo a partir do minuto 4 uma transição que nos leva a um modo erótico pela voz e ritmo da música, que nos faz acelerar o coração de tão boa que consegue ser (esta é sem dúvida a minha preferida, so far). ‘switch blade’ é o pulsar de novos ritmos quando já entrámos noutra galáxia com os sons anteriores. ‘adolescents’ é o single e o mais vulgar que estávamos habituados a ouvir da banda, com os seus últimos registos, com uma letra simples e que nos entra directamente no cérebro, faz-se identificar logo ali a personalidade da banda. ‘tomorrow’s food’ é para mim, um até já ou um agradecimento da banda ao mundo que os ouve fielmente. Uma justificação ao que ouvimos nestes últimos 50 minutos. E como fã incondicional da banda, ao ouvir esta música senti um enorme orgulho pelos ‘nossos’ rapazes, e afirmo com clareza que adorei este álbum do início ao fim.

Podia ficar horas a falar de "If Not Now, When?", mas acho que consegui exprimir o melhor que consegui, após me passar o modo “histerismo” e ansiosismo quando o álbum me chegou aos ouvidos. Contando que a cada audição algo novo se descobre, sei que daqui a algum tempo, muito mais poderia acrescentar a esta review….

19 Abril 2011

Músicas de INN,W?


1. If Not Now, When?
2. Promises, Promises
3. Friends And Lovers
4. Thieves
5. Isadore
6. The Original
7. Defiance
8. In The Company Of Wolves
9. Switchblade
10. Adolescents
11. Tomorrow's Food 


15 Abril 2011

Brandon Boyd descreve "If not now, when?"


É um orgulho enorme ser um fã devoto de uma banda onde o vocalista é tão profundo nas suas acções, nas suas palavras e nos seus actos como é o Brandon Boyd. O que o vocalista faz aqui é mais do que falar do novo álbum da banda. É uma viagem pelo seu percurso na banda. É uma conversa com quem lê. Um privilégio para quem gosta de um texto bem escrito.

Enjoy Incubus